familia-pais-e-filhos-criancas-brigas-1301698897008_615x300

Quem tem filho adolescente, ou pré, sempre acaba conversando sobre uma das maiores preocupações com o futuro que está por vir: o tão próximo processo de crescimento, amadurecimento e independência da cria, a “construção da própria caverna” , amigos, baladas, e, principalmente, o acesso às drogas… Temos medo, queremos protegê-los, proteger-nos, evitar o inevitável.

Nas minhas “andanças” pela rede, li uma reportagem incrível no Blog da Superinteressante, sobre a palestra do  médico húngaro-canadense Gabor Maté, um dos especialistas mais respeitados do mundo em dependência, que esteve no Brasil na primeira quinzena de maio.

O ponto alto da matéria, que me levou a assistir os vídeos da palestra, bate muito com o que eu sempre acreditei: “que a dependência não reside na droga, reside na alma”. Ele diz que quem sofreu abusos severos na infância acaba tendo sua química cerebral alterada e cresce com um eterno vazio na alma e, que, frequentemente esse vazio acaba sendo preenchido com alguma dependência: pode ser uma droga, ou qualquer outro comportamento que traga algum alívio, ainda que temporário: compras, sexo, jogo, comida, religião, internet.

Criar filho é mesmo muito difícil…ter a missão de ajudar alguém sentir-se  amado, saber lidar com seus medos, ajudar a ser independente, auto-suficiente ( no sentido bom da palavra, claro!) sem errar na medida, sem perder de perspectiva que esta relação permite erros de nossa parte, entender que é um processo de construção…

Se você quiser ler a matéria na íntegra, clique aqui. Nesta mesma seção do Blog, chamo atenção também para outros títulos que valem a pena: A droga de cada um e o Conhecimento salva ( esta sobre câncer).

Tudo de bom!

Anúncios

O Jogo da Paz Mundial

Tenho me incomodado com a quantidade de notícias sobre violência e isto me estimulou a buscar histórias sobre paz. O que as pessoas estão fazendo ou pensando a respeito, o que podemos fazer, etc.

Nestas “andanças” achei um vídeo super inspirador, que faz parte do círculo de palestras do TED.com, chamado “The road to peace”. Trata-se da experiência de um professor que ensina, para crianças, o Jogo da Paz, originalmente chamado de “World Peace Game”.

O vídeo é longo, tem 20 minutos, mas vale a pena assistir até o final porque é tudo de bom…

A Questão Finkler

finkler293957_488618607850067_168142163_n

Acabo de ler o romance de Howard Jacobson premiado com o Man Booker Prize de 2010 – um dos mais importantes prêmios literários mundiais.

Além do interesse pessoal por pensamentos, histórias e cultura judaica ( não me lembro de onde surgiu!!) a citação do Washington Post na capa do livro: “Uma comédia maravilhosa, digna do prêmio que recebeu”, foi definitiva para minha aquisição.

A história dos três amigos  Libor, Finkler e Treslove é o que dá consistência ao gênero comédia na forma de manifestação crítica sobre o judaísmo, amizade, comportamento humano, tudo com muita lucidez, sem fanatismos religiosos ou políticos. O fio condutor é a obsessão de Treslove, um goy, em converter-se ao judaísmo.

Gostei muito! Vai para a minha lista de favoritos com (**) duas estrelinhas…Se quiser ler uma das muitas resenhas publicadas sobre o livro clique aqui.

O Grande Gatsby por Baz Luhrmann

Gatsby20565885

No dia 07 de junho estreia nos cinemas brasileiros o filme O Grande Gatsby. Trata-se da quarta adaptação do romance de Scott Fitzgerald (o livro merece outro post!), um romance sobre os Estados Unidos durante o ano de 1920, costurado com uma história imaginária sobre dinheiro, ética e amor. Esta foto do elenco e diretor é do ADOROCINEMA que tem tudo sobre o filme.

A direção é do australiano Baz Luhrmann, que eu adoooro….Ele foi o diretor de alguns filmes da minha lista “tudo de bom”: Romeu e Julieta, Moulin Rouge e Austrália. Nicole Kidman e Leonardo DiCaprio são estrelas que aparecem, cada um, em duas das quatro produções mencionadas.   

Selecionei os trailers dos 4 filmes para quem não viu, ficar com vontade de ver! Ah…o trailer de Austrália só achei em Italiano, mas fica ainda mais lindo…dá uma olhada!

Romeu e Julieta – 1996

Moulin Rouge – 2001

Austrália – 2008

O Grande Gatsby – 07/06/2013

The Kiss

Vi esse vídeo produzido para publicidade da Vodafone no Up date or Die e amei….. Acho que me pegou num dia que precisava de uma mensagem inspiradora. 

Me fez pensar nas breves conversas noturnas com meu filho, manifestando seu desejo de não crescer por medo da felicidade que sente hoje escapar…

Acho que é isso, no fundo nós queremos que as coisas boas durem para sempre mesmo… 

Filme: Homem de Ferro 3

O gênero HQ sempre me agradou e, dos filmes da Marvel, Homem de Ferro é um dos meus favoritos. 

Demorei para ver, mas achei Homem de Ferro 3 imperdível. Filme para assistir no cinema- minha opinião!! Roberto Downey Jr. dá um show a parte ao emprestar ao herói de lata uma dose perfeita de ironia, uma pitada de arrogância, humor, irreverência e muuuito charme. 

Vale muito a pena ver! Diversão garantida….

Minha Mãe – Vinicius de Moraes

 diamaes2

Para mim, nenhum nenhum outro poeta falou de amor de forma tão marcante e transformadora quanto “o poetinha”, Vinicius de Moraes. Por isso escolhi Minha Mãe para a data de hoje.

Apesar de não gostar destas datas inventadas com a finalidade de aquecer o comércio, prefiro pensar que o “dia das mães” também é  um subterfúgio para as pessoas falarem sobre o amor verdadeiro, único sentimento capaz de transformar.

Esta foto é do meu primeiro dia das mães junto com minha mãe amada.

Minha Mãe

Minha mãe, minha mãe, eu tenho medo
Tenho medo da vida, minha mãe.
Canta a doce cantiga que cantavas
Quando eu corria doido ao teu regaço
Com medo dos fantasmas do telhado.
Nina o meu sono cheio de inquietude
Batendo de levinho no meu braço
Que estou com muito medo, minha mãe.
Repousa a luz amiga dos teus olhos
Nos meus olhos sem luz e sem repouso
Dize à dor que me espera eternamente
Para ir embora.  Expulsa a angústia imensa
Do meu ser que não quer e que não pode
Dá-me um beijo na fonte dolorida
Que ela arde de febre, minha mãe.

Aninha-me em teu colo como outrora
Dize-me bem baixo assim: — Filho, não temas
Dorme em sossego, que tua mãe não dorme.
Dorme. Os que de há muito te esperavam
Cansados já se foram para longe.
Perto de ti está tua mãezinha
Teu irmão. que o estudo adormeceu
Tuas irmãs pisando de levinho
Para não despertar o sono teu.
Dorme, meu filho, dorme no meu peito
Sonha a felicidade. Velo eu

Minha mãe, minha mãe, eu tenho medo
Me apavora a renúncia. Dize que eu fique
Afugenta este espaço que me prende
Afugenta o infinito que me chama
Que eu estou com muito medo, minha mãe.


Poema extraído do livro “Vinicius de Moraes – Poesia completa e prosa”, Editora Nova Aguilar – Rio de Janeiro, 1998, pág. 186.